Lulista, ex-governador da Paraíba é alvo de mandado de prisão por desvios na Saúde e Educação

O governador da Paraíba, João Azevêdo (sem partido), e o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), se tornaram alvos, na manhã desta terça-feira (17), de nova fase da Operação Calvário, da Polícia Federal, assinala o Portal G1.

A ação da PF investiga organização criminosa suspeita de desvio de R$134,2 milhões de serviços de saúde e educação. Até por volta de 11h30, nove pessoas haviam sido presas na Paraíba e uma, no Rio de Janeiro.

Na investigação identificou-se fraudes em procedimentos licitatórios e em concurso público, além de corrupção e financiamento de campanhas de agentes políticos e superfaturamento em equipamentos, serviços e medicamentos.

Segundo a “Operação Calvário – Juízo Final”, do valor total desviado, mais de R$ 120 milhões foram destinados a agentes políticos e às campanhas eleitorais de 2010, 2014 e 2018.

Relacionados:  "Se não tivesse falecido, ela estaria condenada junto com o Lula" afirma secretário de Doria, que se recusa a assinar liberação da obra.

Um mandado de prisão foi expedido contra o ex-governador Ricardo Coutinho. Até por volta de 12h15, no entanto, ele não havia sido preso. A PF informou que foi solicitada a inclusão do nome de Ricardo Coutinho na difusão vermelha da Interpol, já que ele está fora do país. O próprio Ricardo informou, por nota, que está de férias, mas que vai antecipar o retorno para se entregar à polícia.

Fonte: G1