Sérgio Camargo diz que homem morto no Carrefour era um marginal: “não representa os pretos honrados”

Sergio Camargo

O presidente da Fundação Cultural Palmares (FCP), Sérgio Camargo, disse nas redes sociais, nesta quarta-feira (25) que João Alberto Silveira Freitas, homem negro morto no supermercado Carrefour em Porto Alegre, era “marginal” e “não representa os pretos honrados”.

Na publicação, Camargo ainda disse que Marighella era branco e negou que o filme biográfico sobre o guerrilheiro tenha sofrido censura.