Sergio Camargo exclui Marina Silva da lista de personalidades negras da Fundação Palmares

Sergio Camargo e Marina Silva

O presidente da Fundação Cultural Palmares, Sérgio Camargo, afirmou nesta terça-feira (13) em uma rede social que a ex-ministra do Meio Ambiente e ex-senadora Marina Silva (Rede), os deputados David Miranda e Talíria Petrone (ambos do PSOL-RJ), o ex-deputado Jean Wyllys e a cantora Preta Gil declaram-se negros “por conveniência”.

Segundo Camargo, Marina Silva foi excluída da lista de personalidades negras da Fundação Palmares porque “não tem contribuição relevante para a população negra do Brasil”. “O ambientalismo dela vem sendo questionado e não é o foco das ações da instituição”, escreveu — criada em 1988, a fundação tem por objetivo a preservação da cultura negra.

Relacionados:  Sérgio Camargo diz que homem morto no Carrefour era um marginal: “não representa os pretos honrados”

Para o presidente da fundação, Marina Silva “autodeclara-se negra por conveniência política”.

“Não é um caso isolado. Jean Willys, Talíria Petrone, David Miranda (branco) e Preta Gil também são pretos por conveniência. Posar de “vítima” e de “oprimido” rende dividendos eleitorais e, em alguns casos, financeiros”, disse.

Relacionados:  Sérgio Camargo recepciona o novo secretário da Cultura Mário Frias

Segundo Camargo escreveu na rede social, “posar de ‘vítima’ e de ‘oprimido’ rende dividendos eleitorais e, em alguns casos, financeiros”.

Com informações do G1