‘Rei Arthur’ confirma que olimpíadas do Rio foram compradas

O  Jornal O Globo informa que o empresário Arthur Menezes Soares Filho, conhecido como “Rei Arthur”, ligado a Sergio Cabral preso na última sexta-feira, confirmou o esquema de pagamento de propina para delegados africanos na escolha do Rio de Janeiro para sede dos Jogos Olímpicos de 2016.

A revelação faz parte dos termos de um acordo de colaboração premiada que está em andamento junto ao Departamento de Justiça dos Estados Unidos (DOJ).

Acusado de ser beneficiado por licitações previamente combinadas em troca do pagamento de propina, o empresário foi investigado em várias ocasiões. Teve a prisão decretada em maio de 2017, quando já morava nos EUA. Embora seu nome constasse na lista de procurados pela Interpol, ele nunca havia sido preso.

“Rei Arthur” também admitiu o crime de lavagem de dinheiro envolvendo contas bancárias nos EUA, no âmbito do esquema que montou para pagar propina a Sergio Cabral. Enquanto estiver sob ‘jurisdição’ americana, ele não corre risco de ser extraditado para o cadeião de Bangu 8.

Em 4 de julho, ao depor à Justiça Federal no Rio, Sergio Cabral afirmou ter comprado votos para o Rio ser escolhido sede da Olimpíada de 2016. Segundo ele, em 2009 Soares Filho foi responsável por pagar US$ 2 milhões ao senegalês Lamine Diack, presidente da Associação Internacional de Federações de Atletismo de 1999 a 2015. “Foi debitado do crédito que eu tinha com ele”, afirmou o ex-governador.

Fonte: O Antagonista, O Globo e CB