Marcos Valério cita Lula como um dos mandantes da morte de Celso Daniel

A Revista VEJA! traz com exclusividade informações sobre novo depoimento de Marcos Valério, operador de propinas preso no caso Mensalão.

Em depoimento inédito, o operador conta que o ex-presidente Lula, hoje preso condenado por corrupção e lavagem de dinheiro, deu aval para pagar a chantagista que iria apontá-lo como envolvido no assassinato do prefeito do próprio PT, que morreu em circunstâncias até hoje não esclarecidas.

Marcos Valério contou que ex-deputado do PT, Professor Luizinho “lhe confidenciou que Celso Daniel topou pagar com recursos da prefeitura a caravana de Lula pelo país, antes da eleição presidencial de 2002, mas não teria concordado em entregar a administração à ação de quadrilhas e àqueles que visavam ao enriquecimento pessoal”.

Ele disse também que, depois de pagar a chantagem de Ronan Maria Pinto, conversou sobre o assunto com o próprio Lula.

Relacionados:  Lula: "Ou Bolsonaro renuncia, ou fazem o impeachment dele!"

Diz a reportagem da VEJA:

“O promotor Roberto Wider quis saber de Valério se ele conversou com Lula sobre esse episódio. O empresário disse que sim. ‘Eu virei para o presidente e falei assim: Resolvi, presidente. Ele falou assim: Ótimo, graças a Deus’.

Mas não foi apenas isso. Valério contou ao promotor que Ronan Maria Pinto, quando exigiu dinheiro para ficar calado, declarou que não ia ‘pagar o pato’ sozinho e que iria citar o presidente Lula como ‘mandante da morte’ do prefeito de Santo André. Nas palavras de Valério, Ronan ia ‘apontá-lo como cabeça da morte de Celso Daniel’”.