General afirma que Gestão de Sergio Moro desestruturou a Cúpula do PCC e Comando Vermelho

O general Guilherme Theophillo, que é secretário nacional de segurança defende o investimento em inteligência para combater o crime organizado no país. O General, que é subordinado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, é responsável pela principal aposta do ministro Sergio Moro para combater a violência, o programa Em Frente Brasil. “Não estamos reagindo, nós estamos sendo proativos”, diz Theophillo sobre o programa inovador de combate ao crime.

O general avaliou os motivos da redução dos índices de criminalidade no país. “[…] em janeiro, fevereiro o que nós realizamos foi retirar as lideranças criminosas dos presídios estaduais e transferir para os presídios federais.” Segundo o General, as ações da Gestão de Sergio Moro resultaram na desestruturação de toda a cúpula do PCC, do Comando Vermelho.

O secretário fez questão de ressaltar que a meta do governo federal é que até o fim do mandato, em 2022, todos os estados do país tenham índices menores de homicídios a cada 100 mil habitantes. “Nós queremos que todos os índices dos estados brasileiros cheguem às metas previstas pela ONU”, diz o secretário de segurança pública. Ele também defende a atuação do ministro. “Nenhum segmento do governo Bolsonaro teve uma reação tão boa quanto a que o ministro Sergio Moro conseguiu dar à segurança pública”, diz o general.

Theophillo também defende um fortalecimento das polícias civis, que segundo ele estão desmotivadas em todo o país. “Nossa polícia judiciária está muito desmotivada, eu comparo ela a uma obra enterrada, porque ela não aparece muito, e nem deve”, diz. “De que adianta ser repressivo se você não chega a punir os culpados?”, finalizou o General.

Fonte: Gazeta do Povo