Bolsonaro pode acabar com a Ancine e esquerdistas entram em pânico

Segundo informa a Folha, o presidente Jair Bolsonaro não está satisfeito com a atual política de fomento ao cinema e poderá encerrar as atividades da Agência Nacional de Cinema, ANCINE. A agência, utilizada para repassar dinheiro público para produções de filmes e séries, foi alvo de diversas investigações do TCU, que apontaram irregularidades nas prestações de contas.

Vale lembrar que a Ancine foi comandada de 2006 até 2017 pelo militante comunista, inclusive filiado ao PCdoB, Manoel Rangel Neto. Além disso, a gestão seguinte, sob o comando de Christian de Castro foi alvo de um mandado de busca e apreensão da Polícia Federal. Segundo O Globo, na época “A recomendação era buscar inclusive “valores em moeda estrangeira ou em reais de valor igual ou superior a R$ 10 mil e bens de alto valor como carros, joias, relógios, obras de arte e outros”.

A medida, como era de se esperar, não foi bem recebida pela esquerda.

O governo também pretende mudar o Conselho Superior de Cinema do Ministério da Cidadania para a Casa Civil.

Com informação da Folha, dO Globo e dO Antagonista.