Após Reforma Trabalhista, sindicatos perdem 90% da contribuição sindical

Após a Reforma Trabalhista, cujo um dos pilares foi a proposta apresentada por Paulo Eduardo Martins, que acabou com a obrigatoriedade do imposto sindical, deixando o trabalhador livre para contribuir se quiser.

Acontece que, como o brasileiro nunca viu com bons olhos a arrecadação forçada feita pelos sindicatos, majoritariamente com o objetivo de sustentar pelegos aliados de políticos que nada contribuíam com a vida do trabalhador, a soma arrecadada caiu, e muito.

Dados oficiais mostram que, se em 2017 o valor arrecadado pelos sindicatos chegou a R$ 3,64 bilhões, em 2018, primeiro ano de validade da medida,foram arrecadados apenas R$ 500 milhões, e a tendência é que em 2019 esse número seja ainda menor.

Recentemente, após diversas tentativas do Judiciário de dar uma sobrevida à indevida cobrança sindical, o presidente Jair Bolsonaro deu fim à cobrança de uma vez por todas, usando uma MP publicada no Diário Oficial da União.

Paulo Eduardo Martins, um dos responsáveis por aliviar o peso no bolso dos brasileiros, comemorou a queda na arrecadação sindical:

Com informações do UOL.

5 Comentários em Após Reforma Trabalhista, sindicatos perdem 90% da contribuição sindical

  1. TEM QUE ACABAR DE UMA VEZ POR TODAS COM ESSES ANTROS DE SACANAGEM
    SINDICATO É SINONIMO DE COVIL DE PILANTRAS, NÃO PODE EXISTIR ESSE TIPO
    DE ARAPUCA EXPLORANDO O TRABALHADOR

  2. Meus aplausos de novo, agora, com a MP do nosso Presidente, eu sempre tive que pagar de maneira obrigatória, sem opção nenhuma, que espécie de democracia foi a que vivi durante anos, ainda restam algumas atitudes a serem tomadas como eliminar o voto obrigatório e mudar o sistema eleitoral, principalmente permitindo candidatos independentes e outras mais.

  3. Pois que fechem. Aquilo (designando todos) é só cabide de empregos mesmo. É assim, toda vez que a gente arruma os guarda-roupas em casa, joga-se um monte de cabides fora. A vida é assim mesmo.

Deixe uma resposta