Vereador do PT é preso por tráfico de drogas

PT alemão

O vereador de Esteio Márcio Anderson Schmitz, o Márcio Alemão (PT), foi preso por tráfico de drogas.

O Petista ensaiou carreira nos gramados antes de entrar na política. Foi jogador nas categorias de base do Grêmio e do Inter e chegou a atuar na Europa, onde integrou a equipe do Futebol Clube do Porto. Porém, nesta quarta-feira, o agora político foi preso na Região Metropolitana de Porto Alegre,

Após 15 dias de investigação, a Polícia Civil prendeu o parlamentar e outro homem em uma casa em Esteio. No local, foram encontradas 55 porções de maconha, balança de precisão, munição calibre 22, equipamentos para preparo e embalo de droga, além de 200 gramas de cocaína pura que, segundo os investigadores, podem render até 500 porções da droga. Havia ainda uma máquina de cartão de crédito e celulares — ambos os aparelhos serão periciados pela polícia. Márcio Alemão é investigado por tráfico de drogas e associação criminosa. Em depoimento, se manteve em silêncio, destaca o Zero Hora.

Entre os vereadores, circula a versão de que Alemão teria deixado o cargo por motivos que estariam relacionados à dependência de drogas. Segundo os colegas, Alemão faltava as sessões e seria pouco participativo, o que teria motivado a abertura de um processo na Comissão de Ética do PT. Teria sido chamado a dar explicações aos dirigentes municipais do partido, e teria prometido mudar e buscar tratamento. Não foi expulso nem afastado.

Relacionados:  Assessores do PT faturam prêmio de R$ 120 milhões da Mega Sena

” O pai era o cara que botava ele na linha. No primeiro ano de mandato, trabalhou legal. No segundo, começaram os problemas. Quando o pai morreu, ele entrou em depressão. Teve meses em que ele passava na Câmara só para as sessões, não ia mais nas reuniões da bancada. Em reuniões do partido, não comparecia há praticamente dois anos” disse o vereador Leo Dahmer, também do PT.

O advogado do vereador, entretanto, afirma que houve tipificação errada do crime em relação a Márcio e que vai encaminhar o pedido de liberdade provisória: “O Márcio é usuário de drogas, não tem provas de que é traficante. Com ele, foi pego três pacotes de cocaína que era para uso próprio. Estava no lugar errado, na hora errada. Não trazia nada com ele. As drogas não são dele. Ele está licenciado da Câmara para se tratar. A família estava encaminhando ele para uma clínica para começar tratamento. Ele foi lá comprar droga porque é viciado.”