Moro celebra prisão de líder do PCC Fuminho: “É um golpe poderoso na estrutura dessa organização”

Moro

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, comemorou, nesta segunda-feira (13), em entrevista exclusiva à Record TV, a prisão do traficante Gilberto Aparecido dos Santos, o Fuminho, o criminoso mais procurado do país e um dos principais líderes do PCC, destaca o Portal R7.

Braço-direto de Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, Fuminho foi detido em Maputo, capital de Moçambique. A Ação foi elogiada pelo ex-juiz da Lava Jato, que hoje tem a função de combater o crime organizado no país.

Relacionados:  Polícia Federal irá investigar autores de filme que retrata filha de Moro sequestrada

“É um golpe poderoso na estrutura dessa organização”, afirmou Moro. “A segurança pública é um serviço essencial e não pode parar. E, há tempos, que se buscava a localização dessa pessoa que é suspeita, indicada de ser uma das lideranças dessa organização criminosa, principal fornecedor de cocaína para o Brasil”, completou o ministro.

O portal R7 apurou que o traficante foi abordado após ir a uma clínica médica para tratar um ferimento em uma das pernas. Fuminho não resistiu à prisão.

Relacionados:  Sergio Moro lança escola para profissionais de segurança pública inspirada no FBI

Fuminho foi preso em um condomínio da capital moçambicana depois de uma operação conjunta, pilotada pela PF (Polícia Federal), com o Itamaraty, DEA/Ministério de Justiça dos Estados Unidos e do Departamento de Polícia de Moçambique.