“O coronavírus não vai nos vencer!”, diz Rainha Elizabeth II

Rainha da Inglaterra

A rainha Elizabeth fez algo inédito, um novo discurso à nação menos de uma semana depois de ter levado uma mensagem a milhões de britânicos que aguardaram suas palavras e ouviram a promessa de que “nos encontraremos de novo”. O Foco do seu pronunciamento, neste sábado, foi dizer que a Páscoa “não foi cancelada”, mas que é preciso um esforço de isolamento de todos para que outras pessoas fiquem a salvo. “O coronavírus não vai nos vencer”, afirmou a monarca de 93 anos.

A rainha fez a gravação do áudio no Castelo de Windsor, onde está isolada há três semanas ao lado do marido, o duque de Edimburgo. Elizabeth II ressaltou e confortou seu povo sobre a dor de perder entes queridos por causa da Covid-19. Nos últimos três dias, os números oficiais do Reino Unido apontaram para quase mil mortos a cada 24 horas. O número total está próximo a 10 mil. A expectativa é a de que o país esteja próximo de passar pelo pico da pandemia, destaca o Correio Braziliense.

“Muitas religiões têm cerimônias que celebram a luz superando a escuridão. Tais ocasiões são frequentemente acompanhadas pela iluminação de velas. (A imagem) Parece falar a todas as culturas e apelar para as pessoas de todas as religiões, e também as de nenhuma”, disse a rainha. “Elas são acesas em bolos de aniversário e para marcar aniversários familiares, quando nos reunimos alegremente em torno de uma fonte de luz. Ela nos une”, afirmou.

“Este ano, a Páscoa será diferente para muitos de nós, mas, mantendo-nos separados, mantemos os outros em segurança. Mas a Páscoa não será cancelada; Na realidade, precisamos da Páscoa como nunca”, afirmou. Em outro trecho, ela disse: “Sabemos que o coronavírus não vai nos vencer. Por mais escuro que a morte possa ser – especialmente para aqueles que sofrem com tristeza – a luz e a vida são maiores.”, argumentou.

No áudio, a Rainha reforça que o Reino Unido terá sucesso em sua luta contra a pandemia, agradeceu às pessoas por seguirem as regras do governo sobre ficarem em casa e elogiou aqueles “se unindo para ajudar os outros”. Ela também agradeceu aos trabalhadores essenciais, dizendo que “toda hora” de trabalho “nos aproxima de um retorno a tempos mais normais”, concluiu.