Sindicatos em crise sem o imposto sindical: demissões crescem 600%

O desemprego bate à porta dos sindicatos brasileiros. O corte de postos de trabalho com carteira assinada nas entidades cresceu 600% após o fim do imposto sindical obrigatório.

Dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho, levantados pela Folha, mostram a perda de empregos nas entidades.

Depois do fim do Imposto Sindical, projeto do Deputado Paulo Martins (PSC-PR), entre dezembro do ano passado e maio de 2018 —últimos  dados disponíveis no cadastro—, houve o encolhimento de 3.140 vagas formais nos sindicatos.

Contribua com o trabalho da República de Curitiba: clique aqui

Siga-nos no Facebook

2 Comentários em Sindicatos em crise sem o imposto sindical: demissões crescem 600%

  1. Ha algum tempo atras essas associações aglomeravam pessoas nas portas das empresas para fazer o empresario readmitir ou não demitir funcionários que muitas vezes seu caixa não suportava mais. Que tal agora esses desempregados pararem nas portas do sindicatos que estão os demitindo exigindo que não os demita ou a pimenta que arde nos olhos dos outros só arde no dos outros mesmos?

Deixe uma resposta

error:
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.