Bolsonaro diz que o Brasil está no limite e aguarda sinalização do povo para agir

Bolsonaro

Na manhã desta quarta-feira (14), durante conversa com apoiadores, o presidente Jair Bolsonaro disse que está ‘aguardando uma sinalização do povo brasileiro para agir’. O comentário do mandatário foi feito ao falar sobre o aumento da pobreza no país em decorrência de políticas de restrição de circulação.

“Desde o começo, a imprensa bate em mim. E aos poucos, a verdade vem aparecendo — disse o presidente, citando uma matéria do correio Brasiliense, a qual relata que mais da metade da população brasileira não sabe se vai se alimentar bem em virtude do aumento dos preços dos alimentos.

“O que eu falei em março do ano passado? Aquela política: ‘fique em casa, a economia vem depois’. Estão vendo. Eu quero saber se a imprensa agora vai culpar os verdadeiros responsáveis ou vai continuar apoiando a política do lockdown” — afirmou Bolsonaro. “Eu conversei com o coronel Mello Araújo, da Ceagesp. Ele falou para mim que os produtores de tomate estavam deixando de produzir e jogando [o alimento] fora, porque não têm mais restaurantes abertos, não têm mais quitanda aberta, e, como consequência, quando voltar a abrir, vão ter que plantar de novo — e demora um pouquinho —, vai ter escassez. O que é comum quando acontece escassez? O preço sobe, inflação. Vão culpar quem?” — acrescentou.

“O Brasil tá no limite. O pessoal fala que devo tomar providência. Eu estou aguardando o povo dar uma sinalização, porque a fome, a miséria, o desemprego, tá aí. Só não vê quem não quer, por quem não está na rua. Eu sempre estive na rua, sempre” — disse o presidente.

O presidente ainda falou sobre a decisão da ministra Cármen Lúcia, que pediu ao STF que paute o julgamento de uma notícia-crime que o acusa de “genocídio” contra os povos indígenas.

“Amigos do Supremo Tribunal Federal (STF), daqui a pouco vamos ter uma crise enorme aqui. Eu vi que um ministro baixou um processo para me julgar por genocídio. Ora, quem fechou tudo, quem tá com a política na mão não sou eu. Agora, não quero aqui brigar com ninguém. Mas estamos na iminência de ter um problema sério no Brasil. O que vai nascer disso tudo aí? Parece que é um barril de pólvora que está aí. E tem gente de paletó e gravata que não quer enxergar isso aí” — declarou o presidente.

“Eu não estou ameaçando ninguém, mas eu estou achando que vamos ter um problema sério no Brasil. Dá tempo de mudar ainda. É só parar de usar menos a caneta e mais o coração” — concluiu o mandatário.

O artigo Bolsonaro diz que o Brasil está no limite e aguarda sinalização do povo para agir foi publicado originalmente em Folha da República.