Após ‘bullying’ contra menina supostamente com câncer, Funkeiro MC Gui perde contratos e tem shows cancelados no Brasil

ENTENDENDO CASO

O cantor de funk estava no famoso trem que leva os passageiro à Disney quando se deparou com uma criança fantasiada de Boo, do filme Monstros S.A, e começou a debochar dela, gravando tudo em seu Instagram. A menina, mesmo sem entender o que o funkeiro falava, ficou nitidamente sem graça e desconfortável com a situação, onde o rapaz aparecia dando gargalhadas e zombado do cabelo da criança junto a seus colegas.

Um detalhe tornou o fatídico episódio de MC Gui mais grave ainda, de acordo com comentários preliminares publicados na web, a meninase chama Jully, tem 7 anos, e estaria usando a peruca não como uma fantasia para a noite de Halloween no parque de diversões, mas sim devido a quimioterapia que ela está fazendo no tratamento de um câncer, que a fez perder todo seu cabelo, segundo o Portal TV Foco.

REPERCUSSÃO

A situação repercutiu e MC Gui tornou-se um dos assuntos mais comentados e criticados do momento, Marcas e eventos que teriam contratado sua presença voltaram atrás e anunciaram não manter mais nenhum tipo de vinculo com o cantor.

O funkeiro se apresentaria dia 31 em uma festa de Halloween organizada por uma escola de inglês no Mato Grosso do Sul, mas a instituição emitiu uma nota a público ressaltando que as éticas de MC Gui não condizem com a deles. Após o show cancelado, a grife de roupas do funkeiro passou a não ser mais comercializada por uma famosa loja, também em nota, o estabelecimento afirmou que “a partir de hoje não venderemos mais a marca do GUI. Não compactuamos com qualquer tipo de preconceito, muito menos quando se trata de uma criança indefesa”, segundo informa a Revista Caras

OUTRO LADO

O Funkeiro pediu desculpas e tentou explicar a situação:

“Nesse trem, eu encontrei essa família que estava fantasiada como personagens do Monstros S.A, que é um filme da minha infância que eu assisti diversas vezes. E eu achei aqui incrível, eu achei algo que eu nunca tinha visto em qualquer outro lugar”,