Bolsonaro prefere Eduardo no Brasil para pacificar PSL

No Japão para a ascensão do novo imperador Japonês, Bolsonaro falou com jornalistas sobre a possível indicação de Eduardo à embaixada brasileira nos Estados Unidos e a situação de Eduardo, que hoje é líder do PSL na câmara após racha na sigla.

Segundo o portal G1, Bolsonaro afirmou:

“O Eduardo vai ter que decidir nos próximos dias, talvez antes de eu voltar ao Brasil, se ele quer ter seu nome submetido ao Senado para a embaixada ou não. Porque agora, se ele firmar, no meu entendimento não vou interferir porque se der certo, tudo bem, se der errado: ‘Pô, pai, qual é’. Vai ter que decidir se quer se submeter ou não.”

Indagado, então, sobre o que seria mais “estratégico” para o governo no momento, Jair Bolsonaro respondeu:

“No meu entender, ele ficar lá, ficar no Brasil. Ficar no Brasil, pacificar o partido dele, ver o que pode [inaudível] teve gente ali que foi para o excesso.”