Motoristas e cobradores de Curitiba, Capital da Lava Jato, se negam a obedecer PT e não participam da greve

Na data de hoje, a esquerda tem como plano uma greve generalizada. O PT e demais partidos estão utilizando as redes sociais para convocar os militantes para ir às ruas, e há quem diga que os vazamentos criminosos contra Sergio Moro e a Lava Jato são só uma tentativa de inflamar a militância esquerdista.

Na capital da Lava Jato, Curitiba, e nas cidades da região metropolitana, o chamado da greve não foi aceito pelos motoristas e cobradores de ônibus.

Relacionados:  Caso aprovado, golpe do STF na Lava Jato poderá anular 159 condenações

O Sindimoc, Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana, avisou que “realizou assembleia nas empresas da categoria consultando os trabalhadores sobre interesse de aderir à greve geral e paralisar as atividades nesta sexta-feira. A decisão da maioria dos trabalhadores foi não paralisar o trabalho. Portanto, amanhã, mesmo com a decisão de greve geral pelas centrais sindicais, o transporte coletivo de Curitiba e Região Metropolitana funcionará normalmente”.

Relacionados:  Justiça determina bloqueio de bens do senador petista Jaques Wagner

Com informação da CBN.