Governo fecha acordo com Azul para logística de transporte de vacina contra Covid-19

Pazuello

O Ministério da Saúde firmou uma parceria com a empresa aérea Azul, para o transporte de vacinas contra a Covid-19, doença causada pelo coronavírus, durante a campanha de imunização. Segundo a companhia aérea, será possível abranger 113 cidades por dia em uma ação para imunizar a população brasileira.

O setor de logística da empresa fará o envio das doses em todos os voos. Diariamente, a empresa faz mais de 100 decolagens em todo o país. A empresa não cobrará pelo serviço, que poderá ser estendido a governos estaduais e municipais.

O anúncio ocorreu na tarde desta quarta-feira (9/12), em Brasília. Além de executivos da empresa, participaram do evento congressistas e ministros, como general Eduardo Pazuello (Saúde), Onyx Lorenzoni (Cidadania), Tarcísio Freitas (Infraestrutura) e Ricardo Salles (Meio Ambiente).

A estimativa da Azul é que, se cada voo carregar 5 mil doses, em dois meses a população poderá ter sido vacinada – na verdade, isso daria um total de 30 milhões de doses, o que está bem longe de contemplar todos os brasileiros. Entretanto, está dentro do cálculo inicial do governo para começar a campanha.

Relacionados:  Sobre o uso da Cloroquina, General Pazuello diz que “O Médico é soberano para decidir”

“Como será e quando será, não sabemos. Mas vamos garantir que a vacina chegue à população”, destacou o presidente da empresa, John Rodgerson.

Atualmente, a Azul já transporta vacinas do Ministério da Saúde. A experiência será usada para os imunizantes que não necessitam de hipercongelamento, como a vacina desenvolvida pelas farmacêuticas Pfizer e BioNtech, que exige armazenamento abaixo de -70°C.

Com isso, o transporte dos outros imunizantes, que, em sua maioria, pedem resfriamento entre 2°C e 8°C, será mais fácil. “Estamos nos preparando para fazer o que precisar para realizar o transporte”, adiantou a diretora de Cargas da Azul, Izabel Reis.

Fonte: Metropoles