Ministério Público aciona Caixa para que tome medidas sobre as aglomerações nas agências devido ao auxílio emergencial

Caixa

O Ministério Público Federal (MPF) em Goiás ajuizou, nesta sexta-feira (17), Ação Civil Pública (ACP), com pedido de antecipação provisória de tutela liminar, em desfavor da Caixa Econômica Federal (Caixa) e da União para que tomem providências no sentido de evitar aglomerações de pessoas nas agências da instituição financeira em todo o país. O objetivo é evitar riscos à saúde pública decorrente da pandemia do novo coronavírus. Devido à gravidade dos fatos, o MPF pede que a liminar tenha efeito em todo o território nacional, destaca o Portal Rota Jurídica.

De acordo com a ACP, nas últimas semanas, com a aprovação do repasse do auxílio emergencial do Governo Federal, cujo calendário de pagamento já está em andamento, tem-se verificado uma forte demanda de pessoas pelos serviços da Caixa em todas as regiões do país. Apesar da previsão de repasses e movimentações de contas digitais, fato é que grande parcela da população não possui os meios de acesso, muito menos intimidade prática com o funcionamento de sites e aplicativos. Por esse motivo, os serviços presenciais nas agências bancárias estão sendo altamente requisitados, mesmo em meio à pandemia.

Relacionados:  Caixa Econômica registra lucro de R$ 7,53 bilhões, aumento de 13,2% em relação a 2018