‘Este governo agressivo cria um clima horroroso no país’, diz Marcelo Adnet

Em entrevista à Folha, o humorista de esquerda Marcelo Adnet faz uma retrospectiva dos seus últimos 12 meses.

Ao longo da campanha eleitoral de 2018, o ator lançou vídeos em que imitava todos os candidatos à Presidência. A única paródia que suscitou reações negativas foi a de Jair Bolsonaro. Nas redes sociais, Adnet recebeu acusações de “mamar na lei Rouanet”.

O caldo engrossou quando surgiu uma gravação em que Bolsonaro, à época hospitalizado depois de sofrer um atentado em Juiz de Fora, parecia xingar uma enfermeira. Era uma imitação da voz do então candidato, e Adnet foi imediatamente responsabilizado por ela. Em três dias, o áudio foi compartilhado mais de 280 mil vezes no Facebook.

“Eu não ligo quando criticam o meu trabalho”, afirma o humorista, que desmentiu pelo Twitter a autoria da gravação. “Mas isso aí foi longe demais.” O ator tomou providências legais, apoiado por advogados da TV Globo.

Relacionados:  Paulo Betti sobre facada em Bolsonaro: “foi cravada de maneira mais ou menos correta, mas não total”

“Este é um governo absolutamente agressivo, que cria um clima horroroso no país. Tudo que é ligado à ciência e à arte está sendo demonizado. Artistas, cientistas e professores sofrem um bombardeio diário de mentiras, de assassinatos de reputações. O grupo que está no poder quer calar as vozes dissonantes.”