“Mulheres reagiram à altura da ação tresloucada dos ‘aloprados’ petistas e do desembargador Favreto”, diz jornalista

Eliane Cantanhêde, em coluna no jornal O Estado de S. Paulo, ressalta a ação de três mulheres na reação à tentativa de soltar o ex-presidente Lula com um habeas corpus ilegal. Cantanhêde ressalta a firmeza e agilidade das decisões das presidentes do STJ e do STF e da Procuradora-Geral da República: “Contrariando o estereótipo de mulheres delicadas, medrosas e frágeis, Laurita, Cármen e Raquel foram fortes na defesa das instituições que comandam, ou, como diz Raquel, contra “a exposição do Poder Judiciário brasileiro (…) a sentimentos que variaram de insegurança à perplexidade, da instabilidade ao descrédito”. Isso não poderia passar em branco. E não passou. A reação é à altura da ação tresloucada”.

Eliane Cantanhêde destacou a importância de Carmen Lúcia em manter Lula preso “Depois de se recusar a pôr em pauta pela quarta vez uma mesma questão, a prisão após segunda instância, Cármen Lúcia agora soltou nota, já no domingo, lembrando a impessoalidade e o respeito à hierarquia no Poder Judiciário. E, numa votação de HC para Lula, Rosa Weber jogou luzes num princípio precioso que Favreto jogou no lixo.”

Fonte Estadão

Precisamos da sua ajuda. Contribua com o trabalho da República de Curitiba: clique aqui

Siga-nos no Facebook

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta