Arrecadação de centrais sindicais cai 90% com fim de imposto

Acabou a Mortadela.

As três maiores centrais sindicais do país (CUT, Força Sindical e UGT ) deixaram de arrecadar, neste ano, cerca de 100 milhões de reais em contribuição sindical com o fim da obrigatoriedade de recolhimento do imposto incluído na reforma trabalhista, que entrou em vigor em novembro, de acordo com a revista Veja. As centrais ficavam com 10% do valor arrecadado pelos sindicatos relativos a um dia de salário de cada trabalhador. A queda da arrecadação para algumas centrais chegou a 90% em relação ao ano passado.

O trabalhador honesto comemora não precisar mais sustentar sindicalistas. A mudança, aprovada durante a reforma trabalhista foi proposta pelo Deputado Paulo Eduardo Martins, do Paraná.

Siga-nos no Facebook

5 Comentários em Arrecadação de centrais sindicais cai 90% com fim de imposto

  1. Fui empresário e observei que na vida laboral os que IAM para o Sindicato se tornavam PERVERSOS, MAUS, ARROGANTES, DESPREZÍVEIS, V_A_G_AB_U_N_D_O_S, OFENSORES dos patrões.

    • Concordo plenamente. Trabalhei numa grande empresa e no final o q se sabia é q a cada “acordo” em prol dos trabalhadores na realidade era um automóvel de último modelo, e assim a greve terminava e o trabalhador não ganhava nem 10% das propostas prometidas pelo sindicato.

      • Concordo com Luis Marotta e Anna Fontoura, dirigentes sindicais se tornam poderosos e nem sempre trabalham com justiça em favor dos sindicalizados . Claro, há exceções, muito poucas.. Acho muito bom essa liberdade de ser ou não sindicalizado, pois assim os dirigentes se esforçarão para corresponder, para trabalhar com eficiência.

  2. Nunca vi sindicalista nenhum lutando pelos diretos dos empregados. Além de terem seus direitos e empregos garantidos, sempre se tornam arrogantes e prepotentes com os “ex” colegas”. Não trazem nenhum benefício, nem para o empregado e nem para o empregador.

Deixe uma resposta

error:
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.