Mansão de Luciano Huck em Angra dos Reis foi beneficiada por decreto de Sérgio Cabral

Há 10 anos, o município de Angra dos Reis moveu uma ação contra o apresentador e possível candidato à Presidência Luciano Huck, por construir irregularmente uma mansão na região, em desobediência às leis ambientais. Huck foi beneficiado por um decreto do então governador Sérgio Cabral, que mudava a legislação ambiental para beneficiar o apresentador e outros proprietários de mansões em ilhas. Huck foi representado pelo escritório da então primeira-dama, Adriana Ancelmo. O decreto ficou conhecido como “lei Luciano Huck”.
Em 2011, Luciano Huck foi condenado a pagar R$ 40 mil por cercar com boias e redes a faixa costeira ao longo de sua casa na ilha, criando uma praia particular para sua família, com o argumento de que pretendia, futuramente, criar mariscos no local. A sentença foi confirmada pelo tribunal de segunda instância, e o caso foi levado ao STJ.

O Ministério Público Federal enviou um pedido à Justiça, em fevereiro de 2017, para manter a condenação de Luciano Huck por “se apoderar de um bem da sociedade” em sua mansão em Angra dos Reis.

Siga-nos no Facebook

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta