No Rio, cantor Chico Buarque protesta contra Bolsonaro e causa aglomeração

O cantor esquerdista Chico Buarque, de 77 anos, participou nesta manhã, no Rio de Janeiro, da manifestação contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Eleitor histórico do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e defensor de regimes de extrema-esquerda, Chico usava máscara e, mesmo assim, foi reconhecido, cercado por fãs, provocando aglomeração generalizada. Ele percorreu parte da Avenida Presidente Vargas, no Centro, e parou para fazer fotos com os manifestantes em meio ao protesto. Em outubro de 2022, a expectativa é de que Bolsonaro e Lula sejam adversários nas urnas.

Muita gente gritou “feliz aniversário” e “parabéns” para Chico Buarque. Várias pessoas abraçaram o artista em total contrassenso com o isolamento social.

Chico participou ainda de atos do “Lula Livre” quando o ex-presidiário havia sido preso pela Operação Lava Jato e na campanha do petista Fernando Haddad à Presidência da República, em 2018. Em um dos comícios de Haddad, nos Arcos da Lapa, no Rio, o artista subiu no palanque ao lado de Caetano Veloso e do rapper Mano Brown. A noite ficou marcada depois que Brown criticou o PT. Segundo ele, no discurso, a eleição naquele ano já estava decidida e que se o PT “não conseguiu falar a língua do povo, tem que perder mesmo”. Diante do candidato do PT, Brown reclamou da falha de comunicação da campanha. Ele recebeu o apoio de Chico e Caetano.

O artigo No Rio, cantor Chico Buarque protesta contra Bolsonaro e causa aglomeração foi publicado originalmente em Folha da República.