Economia brasileira impressiona e balança comercial tem novo superávit em novembro

Guedes

A balança comercial brasileira registrou mais um superávit em novembro, de US$ 3,732 bilhões. Isso significa dizer que, no período, o Brasil exportou mais do que importou. Os dados foram divulgados, nesta terça-feira (1°), pelo subsecretário de Inteligência e Estatísticas de Comércio Exterior, Herlon Brandão, que atribuiu o resultado à melhora da atividade econômica brasileira.

No período, as exportações somaram US$ 17,531 bilhões e as importações, US$ 13,799 bilhões.

“As exportações vem mantendo uma trajetória estável ao longo do ano, com algumas mudanças na composição da pauta. Ou seja, o que influenciou o primeiro semestre é diferente do que vem influenciando agora o resultado do segundo semestre”, explica Herlon Brandão.

Relacionados:  Paulo Guedes confirma redução do Imposto de Renda e fim das deduções

Setores e produtos
Em novembro, o que puxou a exportação em valor foi a indústria extrativa, que registrou um crescimento de 26,9% em relação ao mesmo período de 2019. Os destaques foram para minério de ferro e petróleo. Nas importações, houve um crescimento de 8,3% no setor da agropecuária.

Nossos principais parceiros comerciais são Argentina, China, Hong Kong e Macau, Estados Unidos e União Europeia.

Acumulado de 2020
No acumulado deste ano, a balança comercial registrou superávit de US$ 51,16 bilhões. No ano de 2020, as exportações somam US$ 191,678 bilhões; e as importações, US$ 140,518 bilhões.

Em relação ao acumulado de 2019, houve uma queda de 6,1% no valor das exportações; e de 13,6%, nas importações.

Relacionados:  Reforma da Previdência é aprovada na Câmara e agora vai ao Senado

“Passados nove meses do ano, o cenário já está bem consolidado. Não vamos mudar muito quando acrescentarmos o movimento de dezembro”, acrescenta o subsecretário de Inteligência e Estatísticas de Comércio Exterior. “Esperamos um saldo comercial de US$ 55 bilhões; e estamos aí com US$ 51 bilhões”, completa.