Doria estuda acionar STF para obrigar Bolsonaro a bancar vacina chinesa

Doria China Vacina

Após fazer uma visita de cortesia ao presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, o governador tucano de São Paulo, João Doria, afirmou que vai esperar até sexta-feira (23/10) para analisar se caberá alguma medida judicial no STF contra o presidente Jair Bolsonaro, caso ele não compre de 46 milhões de doses de vacinas chinesa contra o coronavírus, que poderá ser produzida em São Paulo.

“Vamos esperar pelo menos 48 horas. Se até sexta-feira não houver nenhuma medida de recuo por parte do governo federal para fazer aquilo que deve fazer, que é apoiar as vacinas, inclusive a do Butantan, que é a vacina do Brasil, nós saberemos quais medidas poderão ser adotadas, seja por São Paulo, seja pelos governadores. Estão todos realmente entristecidos, para não dizer frustrados, com o comportamento do presidente da República”, defende.

Relacionados:  Augusto Nunes dispara: "A minoria derrotada não admite ver o país governado por quem ganhou a eleição”

“Ele desvalidou uma reunião feita pelo ministro da Saúde com 24 governadores brasileiros”, disse o tucano. “Além de desautorizar o ministro, ele desautorizou o pacto federativo. Todos os governadores querem a vacina para salvar a população de seus estados.”