No Senado, chanceler brasileiro classifica Maduro como ‘facínora’

Ernesto Araújo

O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo, participou da Comissão de Relações Exteriores do Senado Federal.

O chanceler começou seu discurso utilizando o tempo para fazer críticas diretas e incisivas ao ditador venezuelano Nicolás Maduro e reforçando o alinhamento do Brasil a outros países democráticos como os EUA.

“Importante que a gente não use a palavra Venezuela para se referir a esse bando de facínoras que ocupam o poder ainda na Venezuela, pelos quais a gente só tem desprezo”, disse Araújo.

O ministro enumerou diversos pontos nocivos da ditadura comunista, classificada por ele como uma “erosão e degradação das instituições democráticas”.

Ernesto Araújo foi convocado para falar sobre a visita do secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, que na semana passada veio ao Brasil para conhecer a fronteira com a Venezuela.

Relacionados:  Para derrubar Maduro, Guaidó convoca a maior marcha da história da Venezuela

O ministro explicou que a ideia partiu do próprio secretário Pompeo. Araújo ainda ressaltou que tanto o Brasil como os Estados Unidos não são contrários ao país sul-americano.