Dilma acusa Polícia Militar de ‘fascismo’ e toma resposta da corporação

Dilma

A ex-presidente Dilma Rousseff, defenestrada do cargo após processo de impeachment, protagonizou mais um episódio de confusão com a língua portuguesa na tarde de sexta-feira (14) ao acusar, através de sua conta no Twitter, a Polícia Militar de Minas Gerais de gravar o que chamou de “ação fascista” e “híbrida”

“A própria PM está filmando e exibindo a sua ação truculenta contra os moradores do Quilombo Campo Grande, em Minas. Isto significa, literalmente, um ato de guerra híbrida e uma ação fascista”escreveu Dilma em tom de denúncia.

Relacionados:  Dilma Rousseff é intimada a prestar depoimento em investigação da Polícia Federal

A corporação não deixou barato e aproveitou e rebateu a ex-presidente Na mensagem, a Polícia Militar mineira afirmou que não conseguiu entender a afirmação de Dilma e o comentário logo viralizou nas redes sociais, pois mais uma vez a ex-presidente é alvo de chacota devido às suas declarações.

“Não conseguimos entender o que a senhora quis dizer…”, ironizou a PM de Minas Gerais.

Relacionados:  Bolsonaro: "Peço a Deus para que Argentina não volte com políticos amigos de Dilma, Lula e Maduro"

No Twitter, o assunto logo ganhou repercussão e se tornou um dos assuntos mais comentados.