Secretário do governo Doria é preso pela Polícia Federal no âmbito da Operação Lava Jato

lava Jato

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira, 6, a Operação Dardanários para “desarticular conluio” entre empresários e agentes públicos, que tinham por finalidade contratações dirigidas, especialmente na área da Saúde. Segundo a PF, a ofensiva apura crimes de corrupção, peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa e foi nomeada em referência “aos agentes de negócios, atravessadores que intermediavam as contratações dirigidas”, destaca o Correio Braziliense.

Os policiais federais cumprem seis mandados de prisão e 11 de busca e apreensão nas cidades de Petrópolis (RJ), São Paulo (SP), São José do Rio Preto (SP), Goiânia (GO) e Brasília (DF). Conforme a PF, três pessoas já foram presas, entre elas o secretário dos Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo Alexandre Baldy, e um pesquisador da Fiocruz.

O juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal do RJ, expediu os mandados de prisão e 11 de busca e apreensão.

Relacionados:  Odebrecht entrega repasses de R$ 13 milhões para Zeca e José Dirceu

Antes de assumir o cargo no governo João Doria (PSDB), Baldy foi eleito deputado federal em 2014, mas licenciou-se em novembro de 2017 para assumir o Ministério das Cidades durante o governo Temer. Antes de ser deputado, foi secretário de Indústria e Comércio de Goiás, entre 2011 e 2013.

Durante as buscas em endereço ligado ao ex-deputado e ex-ministro em Brasília, a PF apreendeu R$ 50 mil.