PF aponta que Collor desviou recursos da Caixa e da Petrobrás entre 2010 e 2016, diz jornal

Collor

Ex-presidente Fernando Collor desviou recursos da Petrobras e da Caixa entre 2010 e 2016, de acordo com um relatório da Polícia Federal (PF) divulgado nesta segunda-feira (3) pelo jornal Folha de S. Paulo.

Segundo o o jornal, a Polícia Federal suspeita que Collor tenha cometido crimes de lavagem de dinheiro e de peculato – desvio de recursos por agente público. Na época, Collor era filiado ao PTB, então partido de apoio aos governos petistas, destaca o Jornal O Dia.

A Polícia Federal investiga contratos de R$ 2,55 milhões entre as estatais e o Instituto Arnon de Mello de Liberdade Econômica com inexigilbilidade de licitação – contratação que ocorre sem processo de licitação, devido à inviabilidade ou desnecessidade.

Os contratos se referem ao desenvolvimento de projetos culturais entre 2010 a 2016. Do dinheiro, R$ 2,3 milhões teria vindo da Petrobras , entre 2010 e 2015, e R$ 250 mil da Caixa , em 2013.

O instituto, que seria uma entidade sem fins lucrativos, leva o nome do pai de Collor e faz parte da Organização Arnon de Mello – que também integra um grupo de comunicação que tem Collor como seu sócio.

Relacionados:  Senadora aliada do PT enlouquece e rouba documentos da mesa diretora do senado

O relatório da PF aponta que o dinheiro foi levado para empresas privadas do senador, como o jornal e a TV Gazeta de Alagoas, e para pessoas físicas próximas dele, como um de seus ex-assessores parlamentares.

Em resposta, através das Redes Sociais, o ex-presidente afirmou:

“Como sempre, sou alvo de acusações sem o mínimo de provas. Na notícia desta segunda-feira, trata-se de uma matéria requentada. Todas as ilações do analfabeto funcional da federal já foram rebatidas. O resto é fake news!”