Exército quer enquadrar Gilmar na Lei de Segurança Nacional e Código Penal Militar

Exército comando

O Ministério da Defesa em conjunto com o comandante do Exército enviou nesta terça-feira (14) representação à Procuradoria-Geral da República (PGR) contra a declaração do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF) ligando o Exército a um genocídio em razão das mortes por coronavírus no Brasil.

Na notícia de fato, a pasta usa como argumentos artigos da Lei de Segurança Nacional e do Código Penal Militar — que em alguns casos podem alcançar civis.

Relacionados:  Dodge parte pra cima e manda arquivar inquérito do STF

O procurador geral, Augusto Aras, vai avaliar a representação dos militares e decidir se o caso deve seguir com a investigação contra Gilmar ou se vai arquivá-lo.

O Ministério da Saúde é interinamente comandado por um general da ativa, Eduardo Pazuello.

Relacionados:  PT usava empresa 'laranja' para captar dinheiro público e repassar ao MST, afirma deputado

Fonte: ZH