Respirador de baixo custo das Forças Armadas está pronto e deve custar 10% do valor

Exército respirador

O Ministério da Defesa divulgou que uma equipe de pesquisadores voluntários do Exército, em Maceió (AL), concluiu o desenvolvimento do protótipo de respirador pulmonar de baixo custo. O Respiral 2.0 – como foi batizado -, custa cerca de 10% do valor de um respirador normal. Ele teve um custo calculado em cerca de R$ 6,5 mil, enquanto os modelos convencionais comercializados custavam R$ 60 mil antes da pandemia.

Relacionados:  Banco do Brasil já liberou R$3,7 bilhões em crédito para micro e pequenas empresas

Os pesquisadores pretendem doar o aparelho para as Forças Armadas e fábricas de produtos hospitalares que tenham intuitos filantrópicos.