Ministro do STF, Barroso curte tweet que ataca Bolsonaro e depois pede desculpas: “Foi sem querer”

Barroso

Após curtir publicação da Revista Istoé com uma frase do deputado Kim Kataguiri (DEM-SP) contra o chefe do executivo, Jair Bolsonaro (sem partido) no Twitter, o ministro do STF e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, usou a mesma rede para se desculpar pelo ato, alegando ter sido um erro de “adaptação” à plataforma.

“Curti ontem um post sem querer. Ainda estou me adaptando a esta rede. Não curto posts com conteúdo de polarização política. Ao contrário, busco contribuir para o aprimoramento das instituições e para o debate racional de ideias. Agradeço a quem me alertou sobre o engano”, disse.

A frase diz que Bolsonaro não tem apoio do povo e nem das Forças Armadas para fechar o Congresso Nacional e Superior Tribunal Federal (STF), do qual Barroso é ministro. “O sonho de Bolsonaro é fechar Congresso e STF, mas ele não tem apoio popular nem das Forças Armadas para isso”, afirmava, o deputado, à revista IstoÉ.

Relacionados:  Raquel Dodge quer inquéritos de Gleisi na Justiça comum

O ato do ministro foi interpretado como uma crítica ao governo federal e gerou polêmica nas redes, o que levou o magistrado a pedir desculpas pelo que chamou de engano.