Weintraub: “Até hoje a gente não sabe quem mandou matar o presidente Bolsonaro”

weintraub

Um grupo de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro fez um protesto neste domingo (14) na área central de Brasília. Grupos se reuniram no Setor Militar Urbano e na Praça do Buriti – em frente à sede do governo do Distrito Federal.

O grupo de manifestantes recebeu o apoio do ministro da Educação, Abraham Weintraub. Ele cumprimentou os manifestantes no local e conversou com os populares.

Weintraub comentou sobre a situação que vive o presidente Bolsonaro e relembrou o caso Adélio:

“O presidente Bolsonaro é exatamente isso que ele mostra. É um cara parecido com a gente, ele não tem frescuras. Mas as pessoas têm que entender que ele é uma pessoa, ele não é o todo poderoso. Ele está enfrentando um monte de instituições. Está cercado, tem um monte de gente em volta dele. Então, é uma batalha. Ele levou uma facada, inclusive, né? Até hoje a gente não sabe quem mandou matar o presidente Bolsonaro. Pra vocês terem a dimensão do quão poderosa é essa máquina, de quão poderosas são essas pessoas que estão se opondo, você concorda? (…) abriram o celular de um montão de gente por muito menos, do Adélio ainda está fechado”.