Sara Winter diz que se recusa a depor ao STF: “Autoridade, para mim, ilegítima”

Sara

A militante de direita, Sara Winter, reforçou, em entrevista à VEJA!, que não irá depor ao STF, pois considera a ordem ilegítima no que se refere o inquérito das fake news.

Ao ser questionada se iria prestar depoimento, a ativista respondeu: “Não vou. Isso é desobediência civil. Eu recebi uma ordem absurda de uma autoridade que, para mim, é ilegítima.”

E acrescentou: “Haverá consequências. E eu serei responsabilizada e assumirei as responsabilidades por essas consequências. Mas eu não vou. Se fosse um inquérito legal, compareceria. Em nenhum momento a PF me comunicou sobre o que era o mandado de busca e apreensão. Inicialmente, eu achei que era sobre armas. Então estava tranquila, porque achei que eles iam entrar na minha casa e não encontrar nada. E se fosse para prestar esclarecimento sobre armas, eu iria. Eu não tenho armas, não há armas no acampamento.”, defendeu.

Relacionados:  Presidente do Senado é quem pauta impeachment de Ministros do STF

Na ocasião, a militante também rebateu as acusações de que seu grupo tem ligação com a Ku Klux Klan ou nazismo.

“Há uma narrativa de toda a imprensa de que tudo o que nós fizermos será nazista. A esquerda atribuiu a palavra nazismo e fascismo no sentido de que ‘tudo o que eu não concordo é nazismo ou fascismo’. Para eles, ser apoiador do Bolsonaro é automaticamente ser nazista ou fascista”, disse