PM do Paraná prende oito “manifestantes antifascistas” por ato violento em Curitiba

antifa

A Manifestação “Vidas Negras Importam” terminou com sete presos pela PM (Polícia Militar), diversas lojas e agências bancárias vandalizadas e um cenário de guerra no Centro de Curitiba na noite desta segunda-feira (1).

Apesar de ser um inicialmente uma manifestação contra o ‘racismo’, a aglomeração acabou sendo um protesto contra o governo Bolsonaro.

Os oito manifestantes detidos foram encaminhados para o COPE (Centro de Operações Policiais Especiais), da Polícia Civil, e autuados pelos crimes de vandalismo e depredação.

Um policial militar ficou ferido após ser atingido por uma pedra jogada por um “manifestante”. Segundo a Prefeitura de Curitiba houve danos em estações-tubo e pontos de ônibus na Avenida Cândido de Abreu, na Travessa Nestor de Castro e também na Praça Tiradentes. Agências bancárias e outros prédios também foram alvo dos vândalos.

Relacionados:  PM prende manifestantes radicais 'anti-Bolsonaro' com canivetes e artefatos químicos

A manifestação começou às 18h, quando cerca de mil pessoas saíram da Praça Santos Andrade e começaram os atos de depredação e violência. O “manifestantes” finalizaram a marcha na frente do Palácio Iguaçu, quando queimaram a bandeira do Brasil.