Bolsonaro chama Moro de covarde e comemora sua saída: “Dificultou posse de armas a pessoas de bem”

Moro, Bolsonaro

O presidente da República, Jair Bolsonaro, voltou a criticar o ex-ministro da Justiça e ex-juiz da Lava Jato, Sergio Moro, ao conversar com apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada, nesta segunda-feira.

Bolsonaro ressaltou que a postura do ex-ministro da Justiça, refratário à ampliação, teria dificultado a continuidade das políticas de flexibilizar a posse de armas de fogo para pessoas de bem, uma das principais bandeiras de Bolsonaro durante a eleição.

“Para vocês entenderem quem estava do meu lado, essa IN (Instrução Normativa) 131 é da PF, mas [foi feita] por determinação do Moro. Ignorou decretos meus para a posse de arma de fogo para as pessoas de bem”, reclamou o presidente, chamando o ex-ministro de “covarde”.

Relacionados:  Bolsonaro faz pronunciamento em rede nacional; assista

“Por isso que naquela reunião secreta o Moro ficou calado de forma covarde. E ele queria ainda uma portaria depois que multasse quem estivesse na rua. Perfeitamente alinhado com outra ideologia que não a nossa”, completou Bolsonaro.

Para concluir, o presidente ainda comemorou a saída de Moro da pasta: “Graças a Deus ficamos livres dele”