Doria se opõe a Bolsonaro e diz que São Paulo não vai receitar cloroquina “por decreto”

Doria

O governador João Doria (PSDB) disse que São Paulo não vai receitar o remédio cloroquina como cura para a covid-19 por decreto.

“Quero dizer que não se prescreve receita por decreto. São Paulo não vai aceitar que, por decreto, se estabeleça receituário médico. Nenhuma parte do mundo se trata saúde por decreto ou medida de ordem política”, disse em entrevista à imprensa no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista.

O médico de confiança de Doria na pandemia de Coronavírus, David Uip, se envolveu em polêmica com relação ao uso da Cloroquina. O Médico não quis revelar qual remédio usou para se curar da doença, mas uma receita de Cloroquina acabou vazando. Na situação, o presidente Bolsonaro e João Doria trocaram farpas.

Relacionados:  Ministério da Saúde recomendará Cloroquina para casos leves no início dos sintomas

Sobre a mudança do protocolo com recomendação do uso da Cloroquina em casos leves, o governador João Doria respondeu Bolsonaro e disse que São Paulo vai reagir se o escolhido para a Saúde não respeitar o Estado. De acordo com a Constituição Federal, não há hierarquia entre os Executivos federal e estadual em uma crise de saúde. Em caso se divergência, cabe ao Poder Judiciário decidir qual das medidas escolhidas por eles respeita melhor às leis.