“Perdemos um mês”, diz Mandetta sobre Teich e prevê ‘pico’ para julho

Mandetta

O ex-ministro, Luiz Henrique Mandetta (DEM), disse ao Correio Braziliense que, durante o mês em que Nelson Teich permaneceu no Ministério da Saúde, era necessário aumentar o número de leitos e tentar uma maior aproximação com a China, para trazer mais respiradores ao país.

“Perdemos um mês, que era a espinha dorsal de todas essas tentativas […] A única medida foi exonerar as pessoas que estavam lá trabalhando”, disse.

Mandetta também prevê que a curva de contaminação da Covid-19 só vá se estabilizar em julho.

Relacionados:  Associação Médica Brasileira divulga nota de apoio ao novo ministro da saúde: “Respeitado na classe médica”

“A sensação é que a gente está apenas no primeiro terço da subida e não estamos preparados para os outros dois. Atravessamos o mês de maio e o de junho só subindo e em julho talvez a gente possa estabilizar e diminuir em agosto ou setembro”, analisou.