“Pico da doença será entre maio e julho”, diz secretário da Saúde

Saúde

O pico da contaminação de coronavírus deve ocorre de maio a julho, segundo o secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira. Ele disse que cada região atingirá o ‘pico’ de infecções em determinado momento.

O Brasil registrou 6.935 novos casos de coronavírus no Brasil em 24 horas, segundo informou o Ministério da Saúde nesta 3ª feira (5.mai.2020).

O secretário ainda declarou que não é possível determinar o pico exato da covid-19 no país, uma vez que a contaminação ocorre de maneiras diferentes em cada Estado e município. De acordo com os dados do Ministério da Saúde, São Paulo, Rio de Janeiro, Ceará, Pernambuco e Amazonas são os Estados com maior grau de contaminação.

Wanderson de Oliveira destacou que as mortes têm registros defasados e que não ocorreram necessariamente nas últimas 24 horas. Nos dados divulgados nesta 3ª feira (5.mai.2020), por exemplo, houve 600 novos registros de óbitos, sendo que 25 foram hoje e 51 de ontem para hoje. Este número foi posteriormente corrigido para 76 pelo ministério da Saúde.

Relacionados:  Brasileiros ocupam todas as vagas do Mais Médicos e mentira petista é desmontada

“Quando nós avaliamos o número de óbito, é uma conclusão de duas, três semanas atrás. A situação no Amazonas, Ceará e Pernambuco seguem uma tendência de padrão muito similar, de doenças respiratórias nessas regiões. São Paulo e Rio já apresentam padrões mais distintos. Não posso dizer quando seria o pico da pandemia”, afirmou o Secretário

“Ainda não dá pra dizer quando chegaria o pico da crise. O isolamento social reduz a curva de casos. Ainda não sabemos em que data exata isso ocorrerá. O que posso dizer é que será entre maio, junho e julho, não tenho duvida”, defendeu.

Com informações do Poder 360 e Ministério da Saúde