Sergio Moro diz que inquérito da PGR é ‘intimidatório’

Aras Moro

Sergio Moro afirmou que o pedido de abertura das investigações feito pelo PGR, Augusto Aras, sobre as denúncias de interferência do presidente da República, Jair Bolsonaro, na Polícia Federal (PF) foi “intimidatório” por incluir a questão de ‘denunciação caluniosa’ na mesa.

Em linhas gerais, Aras incluiu no inquérito que a investigação será sobre possível interferência do presidente na PF, mas que caso seja comprovado que não houve, poderia pesar sobre o ex-ministro o crime de denunciação caluniosa.

Sergio Moro declarou à Revista Veja:

“Entendi que a requisição de abertura desse inquérito que me aponta como possível responsável por calúnia e denunciação caluniosa foi intimidatória. Dito isso, quero afirmar que estou à disposição das autoridades.”, disse.

Relacionados:  Sergio Moro é eleito uma das 50 personalidades da década pelo 'Financial Times'

Questionado sobre eventuais provas que poderia apresentar contra Bolsonaro, o ex-juiz da Lava Jato falou que apresentará apenas quando questionado pela Justiça.

“Reitero tudo o que disse no meu pronunciamento. Esclarecimentos adicionais farei apenas quando for instado pela Justiça. As provas serão apresentadas no momento oportuno, quando a Justiça solicitar.”, respondeu.