Ministro Marco Aurélio mantém norma do CNJ que recomenda soltura de presos na pandemia

Marco Aurelio STF

O ministro Marco Aurélio Mello rejeitou uma ação do Podemos para derrubar uma resolução do CNJ que recomenda a soltura de presos com risco de contrair a Covid-19, destaca o site O Antagonista.

Nas contas do partido, juízes já mandaram mais de 29 mil detentos para prisões domiciliares com base na norma, alguns presos perigosos como líderes do PCC acabaram aproveitando a brecha e fugindo.

Relacionados:  Moro sobre o tom e tenta impedir golpe do STF para derrubar Lava Lato

No processo, o partido alegava que a crise sanitária não pode ser uma justificativa para a impunidade e que não há critérios objetivos para a soltura, nem condições de fiscalizar o cumprimento das penas em casa.

O ministro rejeitou a ação com um argumento esquisito: o de que “a aplicabilidade da recomendação atacada depende da prática de atos judiciais posteriores, destinados a concretizar as medidas nela referidas”.

Relacionados:  '504 Guardiões da Nação': Militares da reserva divulgam manifesto que indica 'enérgico repúdio' ao STF

O colega de Aurélio no STF, ministro Fuxtem criticado publicamente a medida.