Senador protocola requerimento para ouvir Jean Wyllys sobre facada em Bolsonaro

Wyllys

O senador Marcos do Val (Podemos-ES) apresentou um pedido para que o ex-deputado federal Jean Wyllys (Psol-RJ) preste esclarecimentos à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado sobre o episódio de tentativa de homicídio contra o então candidato Jair Bolsonaro, durante a campanha eleitoral.

Para que o convite a Wyllys aconteça, é necessário que os membros da CCJ aprovem o requerimento, o que ainda não ocorreu. Segundo o autor do pedido, estão sendo analisadas outras formas de votação do requerimento, visto que as reuniões presenciais das comissões estão suspensas.

O fato foi motivado pelo depoimento de uma nova testemunha do caso que supostamente ligou o autor do crime, Adélio Bispo, ao ex-parlamentar do PSOL.

Relacionados:  ‘ONGs não têm vez comigo! São câncer!', diz Bolsonaro

A testemunha em questão, chamado Luciano de Sá Carvalho e conhecido pela alcunha de “mergulhador”, disse em live que conhecia Adélio e que o autor da facada contra Bolsonaro já havia visitado o gabinete de Jean em 2013. Depois da live, “mergulhador” foi chamado por um delegado da PF para prestar depoimento.

Os registros que comprovam a ida de Adélio Bispo à Câmara em 2013 de fato existem, mas o local exato de sua visita foi apagado do sistema da Casa. Apesar disso, Luciano garante que o próprio Adélio confirmou a ele que foi por duas vezes ao gabinete do psolista.

Relacionados:  Marcão do Povo: “Quanto mais batem em Bolsonaro, mais ele cresce!”

Reeleito para um novo mandato como deputado federal, Jean Wyllys renunciou ao cargo no início de 2019 alegando ameaças de morte e foi para o exterior. Sua vaga na Câmara foi ocupada por David Miranda (Psol-RJ).

Para a líder do Psol na Câmara, Fernanda Melchionna (RS), trata-se de um ataque a Wyllys motivado pelo gabinete do ódio.

Com informações do Pleno.News e Congresso em Foco.