STF pode gastar R$ 1,8 milhão em cortinas motorizadas

STF

Em meio à crise econômica e sanitária que o Brasil atravessa, está em andamento uma compra pelo Supremo Tribunal Federal de cortinas motorizadas do tipo rolô para o edifício sede da Corte. O valor máximo previsto que a instituição prevê gastar é de R$ 1.793.432,00. Além do acessório, o valor contempla a instalação dos equipamentos.

A exigência do Supremo na licitação é por dois tipos de cortinas: de tela solar e de blecaute, todos motorizados. A cortina em rolo de tela solar é mais cara: R$ 678,00 o metro quadrado. A de blecaute, R$ 620,00, destaca a CNN Brasil.

Para as cortinas, controles remotos a um custo máximo de R$ 33.466,00. São 45 para 4/5 canais, ao valor máximo de R$ 499,00 cada, e mais 7 controles de 16/20 canais. Este, a um preço máximo de R$ 1.573,00 cada.

Relacionados:  Vídeo: Ministro do STF comete ato falho e proclama: "Nós somos a favor da corrupção"

O Supremo já possui 398 cortinas motorizadas. Elas estão distribuídas no plenário do STF e nos 2º e 3º andares, onde fica o gabinete da presidência.

As empresas interessadas têm até o dia 23 deste mês para apresentarem suas propostas. Em resposta à CNN, a assessoria de imprensa do STF afirmou que “trata-se de uma aquisição de material destinado à conclusão da obra de restauração das esquadrias e dos vidros do edifício-sede, cujo planejamento e início de execução foram amplamente divulgados em 2019.”