Novo estudo com 1061 pacientes aponta melhora de 91% dos casos tratados com Hidroxicloroquina

Didier

Uma equipe liderada pelo médico francês Didier Raoult, pioneiro no Ocidente no uso de cloroquina para tratar a COVID-19, enviou para publicação um novo estudo, desta vez com a participação de 1 061 pacientes, destaca o Portal O Antagonista.

O estudo ainda preliminar e  não foi revisado por pares, procedimento necessário para conferir validade científica aos resultados, mas os números são promissores.

O site do hospital universitário Méditerranée Infection  publicou o resumo e uma tabela do estudo nesta quinta-feira (9). O texto completo ainda não foi oferecido para o público.

Os pacientes participantes receberam tratamento com hidroxicloroquina (uma versão menos tóxica da cloroquina) combinada com azitromicina. Segundo o resumo, mais de 91% dos pacientes tiveram bom desfecho clínico e cura virológica em até 10 dias.

Relacionados:  Sobre o uso da Cloroquina, General Pazuello diz que “O Médico é soberano para decidir”

Dez pacientes foram para a UTI, outros cinco morreram, e 31 precisaram de 10 ou mais dias de hospitalização. Deste grupo, porém, 25 estão curados e os outros 16 seguiam hospitalizados, o que resultaria em uma taxa de cura de 98%.