Sergio Moro prepara portaria para permitir internação compulsória de infectados com coronavírus

Sergio Moro

O Ministério da Justiça e Segurança Pública, sob o comando do Sergio Moro, deve editar duas portarias na próxima semana para tentar controlar a expansão do novo coronavírus no País. Uma delas, ainda em elaboração, permite a internação e a quarentena compulsória de pessoas com suspeita da doença sem a necessidade de decisão judicial. A medida deverá valer no caso em que houver recomendação médica, mesmo antes de um exame confirmar a doença. A outra regulamenta medidas de prevenção do vírus em presídios.

O Ex-juiz da Lava Jato, Sergio Moro, falou sobre a possibilidade de internação compulsória no Twitter. “Pacientes com suspeita de coronavírus devem seguir as recomendações médicas de isolamento e quarentena. Elas podem ser impostas compulsoriamente, com base na Lei 13.979 e na Portaria 356 do Ministério da Saúde. Mas isso não é necessário com autorresponsabilidade. A saúde pública é a lei suprema.”

Relacionados:  “Já falei um milhão de vezes. Vou apoiar o presidente Bolsonaro em 2022”, diz Moro

No texto, Moro mencionou que a realização compulsória de exames médicos, testes laboratoriais, coleta de amostras clínicas, vacinação e tratamentos médicos específicos é prevista pela Lei 13.979, publicada em fevereiro. Com a nova portaria, no entanto, não será mais necessário ter autorização judicial. A decisão de editar inicialmente as duas medidas foi tomada durante reunião ministerial comandada pelo Ministério da Casa Civil, no Palácio do Planalto, na manhã de ontem.

Relacionados:  Bolsonaro edita medida que libera R$ 5 bilhões para combate ao coronavírus

Outras ações devem ser tomadas posteriormente por Sergio Moro para ajudar o Brasil a enfrentar a doença.

Fonte: Estadão