Bolsonaro sugere que população adie manifestações do dia 15: “O recado já foi dado ao parlamento”

Manifestações 15 de março - coronavirus

Em live, através do facebook, o Presidente da República anunciou que falará em cadeia nacional de rádio e TV, às 20h30.

Durante a transmissão, Bolsonaro deixou claro que a intenção é o adiamento do movimento popular que pressiona Congresso e Legislativo, agendado a princípio para dia 15 de março e que contava com grande adesão nas redes sociais.

Bolsonaro disse que “já foi dado um tremendo recado para o Parlamento” Ele disse que deverá tratar do adiamento no pronunciamento em cadeia nacional de televisão e rádio que fará na noite desta quinta.

A fala de Bolsonaro foi feita durante transmissão ao vivo em suas redes sociais, ao lado do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. Os dois usavam máscaras, assim como a intérprete de libras do presidente.

— O que nós devemos fazer agora é evitar que haja uma explosão de pessoas infectadas. Porque os hospitais não dariam vazão. O sistema não suporta. Daí, problemas acontecem. Pessoal fica apavorado — disse Bolsonaro.

Relacionados:  Coronavírus: Nova York tem redução de mortes e internações caem 50%

Mandeta concordou, afirmou que “esse é o X da questão”.

Em seguida, Bolsonaro afirmou que, como presidente da República, precisa “tomar uma posição” sobre as manifestações, ao mesmo tempo que ressaltou não ser responsável pelos atos.

— Como presidente da República, eu tenho que tomar uma posição. Se bem que o movimento não é meu. Uma das sugestões: suspender, adiar. Já foi dado um tremendo recado para o Parlamento.

Em resumo, O chefe do Executivo pedirá para que a população adie as manifestações marcadas para o próximo dia 15.

O motivo do adiamento é, evidentemente, o aumento dos casos de coronavírus no Brasil.