Sergio Moro: “Policial não pode ser tratado como criminoso”

Sergio Moro e Policiais

Sérgio Moro, ministro da Justiça e Segurança Pública, disse que o governo federal vê com preocupação o motim de policiais militares no Ceará, considerado ilegal pelo ex-juiz da Operação Lava Jato, mas fez questão de ressaltar que não se pode tratar o amotinado como um criminoso.

“O governo federal vê com preocupação a paralisação que é ilegal da Polícia Militar do Estado. Claro que o policial tem que ser valorizado, claro que o policial não pode ser tratado de maneira nenhuma como um criminoso. O que ele quer é cumprir a lei e não violar a lei, mas de fato essa paralisação é ilegal, é proibida pela Constituição. O STF (Supremo Tribunal Federal) já decidiu isso”, disse o ministro em evento no Paraná. O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), entretanto, já classificou o movimento dos policiais grevistas como criminoso, assinala a Revista Istoé.

Relacionados:  Sem diálogo: Sergio Moro anuncia leilão de 612 imóveis apreendidos de traficantes

O governo de Jair Bolsonaro renovou por mais uma semana, até o dia 6, o decreto de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) no Ceará. Antes da prorrogação, governadores de ao menos seis Estados se mobilizavam para enviar policiais militares de suas tropas para reforçar a segurança no estado, caso o presidente Jair Bolsonaro não mantivesse soldados por lá. São cerca de 2,5 mil homens do Exército e 300 agentes da Força Nacional nas ruas.