Moro se solidariza com Damares após ofensas de Kakay: “Há pessoas que merecem apenas ser ignoradas”

Sergio Moro quebrou o silêncio após ofensas recebidas por Damares pelo advogado de réus da lava Jato, Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay.

Sem citar nominalmente o ‘advogado das estrelas’ Kakay, Moro disse que as ofensas vêm de “pessoas limitadas” e que têm preconceito por ela ser “mulher, evangélica e ministra”.

Em um grupo privado de advogados no WhatsApp, Kakay fez comentários de baixo calão sobre a bandeira de abstinência sexual proposta por Damares a para combater a gravidez precoce. “Foi uma pena os pais desta idiota não terem feito o que ela prega. Se não tivessem trepado, estaríamos livres dela”, escreveu ele aos juristas do grupo.

Alguns seguidores do chat repudiaram fala de Kakay. Trechos da conversa foram vazados e chegaram à ministra, que acionou a Advocacia Geral da União (AGU) para processar o advogado pelas ofensas.

Relacionados:  Damares ultrapassa Paulo Guedes e agora só fica atrás de Moro em avaliação popular

Em entrevista à VEJA, Kakay disse que não teve a intenção de ofendê-la.