Reitores entram na justiça contra Ministro da Educação por fala sobre plantações de maconha nas Universidades

A Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições de Ensino Superior (Andifes) entrou na Justiça para pedir que o ministro da Educação, Abraham Weintraub, explique as alegações de que há “plantação de ervas para produção de drogas” nas universidades federais brasileiras, assinala o Portal G1.

O Ministro afirmou que algumas universidades teriam “plantações extensivas” de drogas durante uma entrevista ao canal no YouTube do “Jornal da Cidade” no dia 22 de novembro. Abraham falou também que haveria produção de drogas sintéticas em laboratórios de química das instituições.

“Então o que você tem? Você tem plantações de maconha, mas não é três pés de maconha, você tem plantações extensivas de maconha em algumas universidades.” – Abraham Weintraub, ministro da Educação, em 22/11.

A Associação dos Reitores pede que o ministro “preste esclarecimentos e informações sobre as provas que ampararam suas declarações”. A medida foi protocolada na 9ª Vara da Justiça Federal do Distrito Federal.

Relacionados:  URGENTE: Weintraub anuncia em vídeo sua saída do Ministério da Educação

No pedido, os reitores lembram que o ministro destacou, em sua conta pessoal no Twitter, alguns trechos da entrevista falando sobre federais. Na rede social, Weintraub também citou dois casos de drogas encontradas em universidades para sustentar sua alegação, um na Universidade Federal de Brasília (UnB) e outro na de Minas Gerais (UFMG), o que foi rechaçado pelos Reitores porque as investigações não apontaram envolvimento das Direções com o plantio de drogas nos locais.