Deltan é punido por dizer que STF tem ‘panelinha da impunidade’

Coordenador da força-tarefa da Lava Jato, procurador da República Deltan Dallagnol em evento em Brasília 20/3/2015 REUTERS/Ueslei Marcelino

O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) decidiu aplicar a punição de advertência ao procurador da República Deltan Dallagnol, chefe da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba por fala contra os Ministros do STF.

O processo disciplinar foi aberto a pedido do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, por uma suposta manifestação indevida em entrevista à rádio CBN no dia 15 de agosto de 2018, assina o Portal G1.

Na entrevista, O Coordenador da Lava Jato criticou ministros do Supremo pela retirada de trechos de depoimentos da Odebrecht do Paraná e envio à Justiça de Brasília.

O procurador especializado em combate à corrupção afirmou à rádio que os ministros que votaram a favor da decisão formavam uma “panelinha” e mandavam uma mensagem “muito forte de leniência a favor da corrupção”.

Relacionados:  CPI 'Lava Toga' já tem assinaturas suficientes para ser instalada

O procurador respondeu nesta terça-feira através das redes sociais, sobre a advertência e disse que a declaração feita à rádio “decorre de um sistema de justiça que não funciona, em regra, contra poderosos, e é na omissão e no silêncio que a injustiça se fortalece”.